Conheça a fábrica de Kiro

Image for post
Image for post

2020 não está sendo um ano fácil para ninguém — em termos políticos, sociais, econômicos, pandêmicos –, mas é exatamente por esse motivo que cada conquista deve ser comemorada. Foi neste ano que, depois de muitos meses de amadurecimento e organização, Kiro resolveu abrir as portas da sua fábrica e contar um pouquinho desta trajetória até aqui.

Depois de três anos de Kiro, desde que começou a ser produzido no restaurante do antigo sócio até a consolidação do sonho da fábrica própria, muitas águas rolaram e cada gota delas faz parte da história da bebida.

Com o crescimento do projeto e a necessidade de transferir a produção para um espaço com mais estrutura, no início, os sócios não receberam os melhores conselhos sobre a investida. “Conversamos com uma série de pessoas que estão no mercado há mais tempo, e fomos instruídos a não ter uma fábrica, porque ia tirar o foco das vendas, da comunicação, da publicidade”, lembra o sócio Roberto Meirelles.

A máxima de que “se conselho fosse bom, ninguém dava”, nesse caso funcionou e lá estava a fábrica de Kiro montada em Atibaia (interior de SP), cerca de dois anos depois. O motivo de estarem tão certos em ter uma fábrica própria? O foco de Kiro nunca esteve na marca em si, mas no produto. “Não queríamos ter apenas uma empresa que cuidasse do produto no momento em que ele já está na caixa. Queríamos nos envolver com os fornecedores, contribuir com todos os agentes da cadeia de produção de alimentos, que é muito complexa”, complementa Roberto.

O fato de Kiro ser um switchel, ou melhor, o 1º switchel do Brasil, apareceu como ponto importante para a decisão de ser produtor. Por ser uma bebida milenar, quase desconhecida no Brasil, os pioneiros precisavam desenvolver uma estrutura de produção muito específica, para a qual não havia parâmetros no mercado de bebidas. “Quem sabia, e ainda sabe, fazer o switchel somos nós. E enxergávamos como uma oportunidade de desenvolver e dominar esse conhecimento. Ser a referência de switchel no Brasil mesmo! As estruturas que visitamos [terceirizadas] não tinham o que a gente precisava”, conta Leeward Wang, sócio ao lado de Roberto.

Como os amantes de Kiro já sabem, a bebida é clean label — ou rótulo limpo, produzida sem aditivos químicos — e feita com ingredientes naturais de pequenos produtores, fatores muito importantes para serem considerados, tanto no funcionamento da fábrica (como o Rodrigo conta mais na seção Quem Nos Representa), como na comunicação do trabalho.

Produzido com apenas quatro ingredientes, o processo de produção de Kiro é praticamente todo artesanal, ainda que esteja dentro de um espaço considerado industrial. Para Meirelles, “A indústria tem um tom pejorativo por uma série de fatores reais, e nosso desafio é mostrar que uma pequena fábrica é o oposto disso, indo exatamente contra esse processo de industrialização em massa. Na fábrica de Kiro, as pessoas ficam encantadas ao verem as caixas de gengibre, de maçã, os baldes de mel, 74% dos ingredientes da fábrica são in natura”.

Para além dos desafios, as vantagens de se ter uma fábrica própria são inúmeras, tanto em termos de valor da marca, como em termos financeiros e de inovação. “Temos que saber usar a nossa estrutura, em termos de desenvolvimento de produto, em ganhos marginais de custo, para conseguir ter um produto cada vez mais competitivo. Com a fábrica própria, conseguimos fazer isso com certa velocidade, o que é muito benéfico”, diz Leeward.

Hoje, a fábrica conta com quatro colaboradores: o Rodrigo (chefe de produção), o Renan, a Morgana e a Ana Cristina, e todos são treinados para executar todas as funções, bem como é muito importante que estejam conectados com os ideais de Kiro. “A fábrica não deixa de ser um ponto de encontro, onde se troca esse conhecimento todo. Sair com um produto feito é um laboratório! E as parcerias e as edições limitadas são consequências dessa troca de conhecimento”, lembra Roberto.

Mais uma vez, sabor e saber vem à tona e, quando o assunto é Kiro, a dupla de mesma raiz etimológica não cansa de se encontrar. “Tanto a origem do Kiro veio da literatura, como o nosso produto é pautado em conhecimento. Tem muita ciência envolvida, a microbiologia, o conhecimento popular, a ancestralidade. Tudo para, no final, chegarmos num produto que inspire sabedoria e ao mesmo tempo seja uma delícia”, finaliza Roberto.

Os textos são originalmente publicados em nossa Newsletter. Assine em mailchi.mp/bebakiro/news e tenha acesso ao conteúdo quinzenal completo.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store